Pages

sábado, 19 de julho de 2008

Violência contra mulher - um ato de covardia


Gritos, choros, muito barulho, copos sendo jogados ao chão... Violência! Uma mulher está sendo violentada, uma mulher está jogada em cima de uma cama chorando a sua dor, dor de mãe, dor de fêmea. Ela foi torturada física e psicologicamente.

Violência contra a mulher. Esse assunto já ganhou o mundo, essa dor já marcou e marca muitas vidas. O principal agressor na maioria dos casos são os próprios companheiros, as vítimas incontestáveis são os filhos. Que em meio a tantas brigas, o único sentimento que lhes sobram é –Impotência – falo isso com propriedade porque já senti na pele essa angustia. Eu posso dizer, pelo menos por mim, que o único desejo que dá na hora é de ser “grande” e poder fazer alguma coisa. Os vizinhos escutam, eles sempre escutam os gritos desesperados. Mas, seguindo o ditado: “em briga de marido e mulher ninguém mete a colher”, dificilmente aparece alguém para ajudar.

A Lei Maria da Penha, sancionada em sete de agosto de 2006 pelo então presidente Luis Inácio Lula da Silva; veio promover rigor nas punições contra os agressores. Eles merecem todas as punições que lei brasileira permitir. Homens ou animais? Seria uma ofensa para o reino animal. Covardes, é exatamente isso o que eles são.

Antes da Lei Maria da Penha muitos deles ficavam sem as devidas punições, mas esse quadro foi revertido. O que antes ficava apenas em “advertência” hoje leva o sujeito para prisão.

Alguns homens sentem-se injustiçados com a lei, porque se uma mulher o agredir as punições não serão as mesmas, mas não vamos esquecer que a força de uma mulher não pode ser comparada nem de perto com a força de um homem. Por mim, homem que agride mulher merece ficar atrás das grades, sem perdão! E por falar em perdão, um dos pontos positivos da Lei é que as mulheres que prestam queixa na delegacia não podem mais retirar, o que facilita bastante o trabalho da justiça no combate contra a violência.

Eu digo não a violência. Eu digo basta aos agressores. Eu digo sim as punições.

3 comentários:

Ellwyn Ahrenfell disse...

É isso mesmo!! Tem que haver punições severas p'ra esse tipo de crime... Também sinto uma revolta profunda quando ouço acerca da situação de mulheres que vivem nessas condições.

Renata Cabral disse...

Eu concordo com isso tudo...

E concordo com aquela frase: "Em mulher não se bate nem com uma flor".

Nada justifica a violência, claro!


Mas, tem umas mulheres viu... quem merecem apanhar mesmo ¬¬ PQP!

Lindalva Cordeiro disse...

Nenhuma mulher merece apanhar, nenhum ser humano, esse negócio de resolver as coisas com violência é atitude brutal e irracional. Mulheres não devem aceitar qualquer tipo de agressão, principalmente, quando advém de uma pessoa que deveria lhe dar amor, proteção. Homem que bate em mulher é um covarde frouxo, porque com certeza não faria o mesmo com alguém com força física maior ou igual a dele.