Pages

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Destruição



O sol queimou meus sonhos e minha pele
O dia se tornou um castigo eterno
A noite ficou sem brilho
A água que bebo me envenena aos poucos
O ar que respiro destrói meu pulmão
Os lugares onde ando furam meus pés
Meus pensamentos destroem minha memória
Meu olhar é cego mesmo vendo tudo
A minha alma vagueia por outro lugar
As vozes da escuridão me perseguem
Não me deixam dormir um instante
Meus sonhos se transformaram em pesadelos constantes
Minha vida foi destruída, não sei quando, nem onde.

Nenhum comentário: