Pages

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Solitário

E minh´alma sombria ela não entendia
Me queria ver rindo
Mas não entendia que até o meu riso eram lágrimas
Lágrimas de uma dor incerta, angustiante...
O meu canto suava como ruído aos seus ouvidos
Eram minhas dores sendo extravasadas
E nem isso você entendia, querida
Você me olhava e não me via
Por mais que eu estivesse exposta
Ainda assim você não enxergava
Esse meu ser nefasto, solitário

Nenhum comentário: