Pages

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Nem Flor, nem Pétala



Veio com o vento e com ele também se foi
Num sopro de alegria, iluminastes o meu ser
Pequeno, frágil, cansado...
Te doei as palavras
Me deste o teu perfume
Perfume de flor, uma pétala sobre mim.

E fui despetalando os pensamentos
Te buscando a todo momento
E já não tinha flor, nem pétalas
Sangrei o dedo no espinho do esquecimento
Flor, eu tinha amor para te regar
Mas o vento veio, ele te levou...
Para nunca mais voltar.

Um comentário:

Josiléa Pinheiro disse...

Tatiane, que poema lindo!Seu blog é muito interessante! pode crer que voltarei mais vezes!
Obrigada pela visita. Quando quiser aparecer lá no "Escrevedora" será muito bem-vinda!
Abraço.