Pages

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Pele morena



Falar da tua pele morena é tentar pintar o céu na palma da mão. É buscar adjetivos, concordâncias, pontos, reticências, exclamações, e ainda sim, findar. Tua pele morena, não se descreve, se sente. Veneno, que vai embriagando, exalando desejo em cada poro, espalhando tesão no colchão, na minha mão. Libere seu veneno, eu quero ser possuída por ele. Quero provar cada gole – envenenar-me de você.
Pele morena, sabor de pecado. Pecado de te possuir assim, livre, infinitamente... E me abre as portas, para qu´eu te encontre um pouco mais, me perca um pouco menos.
Teu riso, luz perfeitamente sincronizada. E me chamas calma assim, linda assim, o que faço eu a não ser ir? Ir, sem nem querer voltar, querendo me perder a cada instante nesse teu infinito – singular.

2 comentários:

Arthur Matos disse...

Antes de mais nada devo comentar o novo design do blog...ficou show!
nhaa gostei desse texto! Pele morena...

Sabe, quando vc te dom pra escrever não pode esconder, tem que mostrar! parabenss

Robson Araújo disse...

nossa muito interessante a forma que usastes para esse textos as conotações citações muiot bom mesmo bem sou um desbravador de palavras talvez...

obrigado pela visita