Pages

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Confusões internas

Estou doente. Dessa vez não é gripe, asma, as inúmeras alergias que eu tenho. Não é nada disso. Dessa vez é o meu intimo que está adoecendo... Uma certa fragilidade emocional têm tomado conta de mim toda a semana.

Quem olha de longe pode achar que é frescura, mas isso está me fazendo mal. De verdade. Várias vezes essa semana tive enjôo que sempre são acompanhados de pensamentos “errados”.
Ansiedade é o meu nome, sobrenome? Impaciência. Juro que eu tento desvirtuar meus pensamentos, tentar fazer coisas diferentes, ocupações diferentes, mas... Não tem adiantado muito. Então... Vou ficar me remoendo com isso até sabe-se lá quando. Coisa chata!

Depois de uma conversa que tive com uma amiga minha, acho mesmo que preciso tomar algumas decisões importantes na minha vida. Sem medo de arriscar, de tentar mais uma vez. Sabendo da possibilidade de errar de novo, mas não esquecendo que também posso acertar. E arriscar, é apostar na minha felicidade, no meu bem-estar.

Hoje é um dia de chuva... Cenário de uma solidão não desejada.
Essa pessoa que vos escreve, está muito, mais muito angustiada. E eu só queria que essa sensação horrível saísse logo de mim, me deixasse quieta, em paz comigo mesma. Eu travei uma guerra interna, e agora não consigo me livrar dela. Socorro!

=/

Ouvindo: O barulho da chuva...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Pra dizer que te amo - Acróstico

Palavras se confundem com os meus sentimentos
Relampeio teu nome em meu céu
Adormeço em meu seio as marcas que me deixastes

Digo infinitamente que te amo
Interrogo meu espelho, faço perguntas sobre nós
Zeloso e cuidadoso é o meu querer por ti, por nós
Espero em teu ombro o conforto de um ninho
Rogando aos céus para que me tenhas amor

Quando te olho, me perco
Unindo meu corpo ao teu fico parecendo uma criança
Esperando um abraço como presente

Teu sorriso como uma herança
Extremamente necessária para mim

Antes que amanheça, antes que chegue um novo dia
Me receba, e aceite...
O meu amor.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Trovão



- Mãe, está chovendo muito, esses trovões tão altos... Eu não gosto!!!
- Tudo bem. Eu vou deitar aí com você.



quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

A mágica do seu sorriso



A mágica do seu sorriso não me faz nenhum sentido agora. Aliás, odeio me perder nele como uma criança descobrindo o novo. É uma sensação de enxergar uma cor pela primeira vez. Eu me deixei perder nas suas cores, nos seus gestos e manias. E veja só o que me tornei, alguém a vagar na esperança de se desfazer do efeito de um sorriso – seu riso.


Assim como o da famosa Monalisa, eu paralisei no seu, tentando decifrar cada milímetro da sua boca, das suas expressões. Além de ler seus lábios, eu lia seu sorriso, seus olhos, sua testa enrugada, sua sobrancelha arqueada. Saí da faculdade e virei estudante do seu corpo. Nos estudos, conheci seus pontos positivos e negativos. Me agarrei com os positivos, aprendi a conviver com os negativos, afinal, aquilo tudo era do teu ‘eu’. E... Eu simplesmente te amei pelo que você era, e não pelo que poderia ser. Me deixei levar, me guiei na mágica do sorriso, aquele lindo sorriso.


Quantas vezes eu calei minha voz para ouvir a sua?
Quantas vezes não chorei para poder limpar suas lágrimas?
Quantas vezes ocultei o meu sorriso, dando a vez ao seu?
Sorriamos juntas, eu sei. Choramos, calamos...


E agora...


Me sinto presa, presa num passado que não existe. Presa num sorriso que não me sorri mais, presa a um sentimento que já excedeu as explicações do bom senso. O que faço? Você me paralisou num sorriso – lindo. Já nem tenho eu, forças ou motivos para sorrir.

Mas...


Te amo tanto, tanto!

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Das palavras que você me veste



Você me joga um mar de palavras, palavras que ferem, que me fazem sangrar. E ao invés de deixá-las passar, eu simplesmente as pego, seguro-as bem forte, e me visto com elas. Talvez assim você consiga matar o amor que existe em mim, talvez assim eu esqueça de você e lembre apenas das palavras que me doas.
Um dia existe amor, no outro me espancas com o teu vocabulário. Quantas vezes mais ficarei no chão por você?

Me dê mais palavras. Talvez assim eu te esqueça de uma vez. Talvez assim eu não chore ao pronunciar o seu nome, talvez assim eu não lembre mais de você, só das palavras – das palavras que fazem sangrar.
Me corte um pouco mais, me deixe sangrando como sempre faz. Deixe que sangre até a última gota. Talvez assim caia todo meu amor, talvez assim ele escorra pelo ralo.

Estou marcada, você pode ver? Foi o açoite do seu latim, eu juro, ainda dói em mim.
Se essa é uma maneira que você encontrou de me ajudar a esquecer, então, me corte mais. Um dia estarei dividida em tantos pedaços que será impossível amar, será impossível lembrar. Lembrar que houve uma história, que existiu um amor.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Escuta... Parte - III



Querida, flor dos meus dias... Ontem eu tive um sonho, sonhei com nós dois. Querida, estive pensando em nossa casa, em nossos filhos. Eu pude ver eles correndo livremente pelo quintal, se escondendo serelepes atrás de você, afim de que não os encontrasse. Estávamos brincando de esconde-esconde. Era lindo vê como sorrias, como olhavas para nós, a felicidade em teus olhos me dizia o quão feliz estavas por termos conquistado tantas coisas boas.
Nesse mesmo sonho querida, eu pude sentir o cheiro daquele perfume, aquele que você usava só para me agradar. O tempo passou, e continuavas linda, linda como sempre foste desde a mocidade. Em teus traços, eu via a tua mãe, anos atrás. Vocês se parecem tanto. E anos a frente, verei nossa filha, linda, igualzinha a você. Nosso filho, me parece que saiu a mim, é mais calmo, contido, mais sensível. A nossa pequena não, cuida do irmãozinho com o mesmo instinto protetor que te cerca, é traquina, e escala os muros dos vizinhos como se fosse uma aranha, outro dia recebi reclamações – e ela me olha dizendo que não estava fazendo nada demais, e me beija a testa – eu a abraço e explico que existem regras as quais ela precisa seguir.
Querida, eles aprenderam a ler e escrever, viu como o tempo voa? E voar com vocês é a melhor coisa que existe. O nosso pequeno nos escreve cartinhas, e ele mesmo se habilita a lê-las pra nós antes do jantar, sorrimos em agradecimento. Ele tem o olhar tímido, e a menininha sempre o acarinha no rosto. Eles se gostam tanto!

(...)

... E se tudo não fosse apenas um sonho, eu estaria feliz pela nossa família....

Amo você, e nem o tempo pode mudar isso.


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Hoje eu sou o Poema de Cazuza e Frejat

Existem dias que acordo vivenciando a letra de uma música... E hoje, em especial, estou toda a música que segue abaixo.

Sinceramente, já nem reclamo mais abrigo, e como hoje, talvez nem chore mais...


Poema (Cazuza / Frejat)

Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com o seu carinho
E lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era ainda criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou consolo
Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim
E que não tem fim
De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Presentinho - I



Opa, opa, opa!!! Mais um presentinho pro BaLaio de NoCa, e olha que o Natal já passou, hein? Hehehehe...

Esse selinho eu ganhei da Felícia, que faz o Versos sem Rima. Muito obrigada pelo carinho, adorei!!!

Passando as Regras:


1- Exiba a imagem do selo “Olha Que Blog Maneiro” que vc acabou de ganhar;
2- Poste o link do blog que te indicou;
3- Indique 10 blogs de sua preferência;
4- Avise seus indicados;
5- Publique as regras;
6- Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.
7- Envie sua foto ou de um(a) amigo(a) para olhaquemaneiro@gmail.com juntamente com os 10 links dos blogs indicados para vericação. Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá 1 caricatura em P&B;

E os meus indicados são:

Jogando conversa fora
De fora
Despida de tudo
Tormentas Psíquicas
Tout Ce Que Je Sais
Cantinho eu Cantinho
Segredos da Anitha
Rotativa
Liber
Diluted Poet

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Quando a luz apagou



A luz apagou, a chuva secou, secou tudo em mim
O dia não veio, você não me veio, e eu continuo aqui
Sentada nem sei, esperando talvez
Só o tempo que passa e você não vem
Não, você nunca vem!

E quanto mais vou esperar?
Quando mais vou pedir?
Ainda vou precisar?
Precisar de você aqui

E o sorriso era seu
Mas a luz se apagou
Não tenho sorrisos
Ouço meus gritos
Choro minha dor – desamor

Acabou alegria
Já nem faço folia
E me sinto tão só
A companhia que ia
Você já partia, nem pra mim mais olhou

E o dia não veio
Só restou devaneio
Desse louco amor

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Presentinho




Agora pouco acabei de receber um presentinho do Abraão. Adoro presentinhos!!!


Aeee... Finalmente, os primeiros selos do BaLaio de NoCa. =)


A única regra é indicar mais 15 blog´s. E a minha indicação vai para:



Versos sem Rima

Jogando conversa fora

De fora

Despida de tudo

Tormentas Psíquicas

Tout Ce Que Je Sais

Uai MG

Cantinho eu Cantinho

Segredos da Anitha

Anacronista

Rotativa

Liber

Diluted Poet






Angústia de mim



Qualquer coisa poderia ser melhor que ter você aqui perto de mim, mas não o é. Porque essa necessidade de ter você por perto nem sei onde começa, nem sei se vai ter fim.
Eu vou seguindo os dias, não sei se vou, ou se me arrasto. Não sei se vivo, ou simplesmente passo.
Preciso encontrar as respostas, me encontrar outra vez. E como será possível? Se já nem reconheço os meus dias desde aquele adeus – que ainda me dói. Quero me olhar novamente, me ver sem você. Cansei de não ter minha imagem refletida frente ao espelho, cansei de só enxergar você. Loucura. Loucura minha, essa de te querer. Precisamos dá um tempo. Não. Eu é que preciso dá um tempo. Você já se foi, já partiu com o vento. Eu preciso me permitir novos experimentos, novos amores, novas sensações, outros sabores.
Angústia de mim mesma, tormento do meu pensar, dor do meu pesar, loucura ainda amar, pensar em voltar, casar, ter filhos – sonhar. Chega! Eu preciso de um tempo, de um tempo pra pensar, pensar e mim, não em nós. Não existe nós. Eu tenho que me encontrar, me encontrar sem você.

Eu quero viver, e não apenas passar...

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Tá doendo!

- Tá doendo!
- O quê?
- Minha garganta, ai como dói!
- Só assim tu fica um pouco calada, né?
- Que nada! Estou é querendo gritar, e sai da minha frente agora.
- Vixe!
- Ei... Traz a cana, eu vou beber, nada melhor que beber pra espantar as mazelas.
*51 -Tenha sempre uma boa idéia!
Hehehehe... =)

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Gripe?? Ah não!




De novo??? Sim, de novo! Ah não! Mais uma vez estou com gripe. Sinceramente, ninguém merece! Se ao menos ela viesse sozinha. Mas não, sempre vem acompanhada de outras doenças. Minha alergia se manifesta, a garganta clama pela renite, o nariz para não se sentir inferior convida a sinusite, a asma chega com tudo me deixando sem ar, e assim, todos fazem a festa dentro de mim. =/

Ter que ficar tomando horrores de remédios, uma dor de cabeça de tirar o bom humor de qualquer pessoa, as dores no corpo, a moleza... Putz!

Um agravante nisso tudo: Não tenho ninguém pra ficar fazendo manha! Owwwww não, isso é demais para mim.

Estou precisando de uma enfermeira (o) carinhosa (o), alguém se habilita? Hehehe..

Tô falando sério pessoal, estou precisando de cuidados!


=D

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Faz frio aqui



Está nevando
Não lá fora, mas aqui dentro
Dentro do meu peito
As luzes se apagaram
As luzes de mim, as que me deixavam acesas, viva!

Você trancou a porta
E faz tanto frio aqui dentro
O calor está lá fora?
Está em você?
Devolva-me os dias
A alegria
Os meus sentidos
A minha paz

Está tão frio amor
E só você aquece esse meu coração gelado
Mude a estação de mim
Cansei do inverno
Traga-me o verão dos seus beijos
A primavera do seu riso

Faz frio aqui dentro
O calor está lá fora?
Está em você?


Aqui...
faz....
tanto...
frio!