Pages

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Das palavras que você me veste



Você me joga um mar de palavras, palavras que ferem, que me fazem sangrar. E ao invés de deixá-las passar, eu simplesmente as pego, seguro-as bem forte, e me visto com elas. Talvez assim você consiga matar o amor que existe em mim, talvez assim eu esqueça de você e lembre apenas das palavras que me doas.
Um dia existe amor, no outro me espancas com o teu vocabulário. Quantas vezes mais ficarei no chão por você?

Me dê mais palavras. Talvez assim eu te esqueça de uma vez. Talvez assim eu não chore ao pronunciar o seu nome, talvez assim eu não lembre mais de você, só das palavras – das palavras que fazem sangrar.
Me corte um pouco mais, me deixe sangrando como sempre faz. Deixe que sangre até a última gota. Talvez assim caia todo meu amor, talvez assim ele escorra pelo ralo.

Estou marcada, você pode ver? Foi o açoite do seu latim, eu juro, ainda dói em mim.
Se essa é uma maneira que você encontrou de me ajudar a esquecer, então, me corte mais. Um dia estarei dividida em tantos pedaços que será impossível amar, será impossível lembrar. Lembrar que houve uma história, que existiu um amor.

4 comentários:

Anitha disse...

...e qdo as palavras cessam, o desprezo é certo...Belo texto!

sweet.cherry.pie disse...

nossa, que lindo, maravilhoso texto!
talvez seja o jeito mais triste de esquecer, mas as vezes é tão necessário...

Janine disse...

Kabousse a mulher do sangue é essa!kkkkkk
Você esta bem menina??
RISOS
¬¬

Thai :* disse...

"Estou marcada, você pode ver? Foi o açoite do seu latim, eu juro, ainda dói em mim."

geniais essas palavras, gostei muito delas :) e pode ter certeza, a dor que as palavras causam só não é maior que a dor que atos causam, mas ainda assim é muito grande.