Pages

segunda-feira, 2 de março de 2009

Minha paixão proibida


Mais uma vez, estou perdendo. Mais uma paixão que estou vendo me escapar pelos dedos. Sei que ela estará sempre ali, mas dificilmente poderei tocá-la outra vez. Não como eu gostaria.
Eu estava relutante em ir a médico, mas... Um dia a gente tem que ir né? Ano passado eu machuquei o joelho esquerdo no treinamento. Consequentemente, tive que me afastar dos tatames. Veio toda a correria com o projeto, o final de um relacionamento, e o joelho lá doendo, pedindo socorro, mas existiam outras prioridades, e ele ia ficando (lascado).


No começo de janeiro, atendendo a pedidos, eu finalmente fui fazer uma radiografia. Bom, o resultado deu: normal! ¬¬
Eu precisava voltar ao meu médico e mostrar os exames pra ele, mas não foi isso que eu fiz, afinal, estava escrito no papel que estava tudo normal. Minha mãe marcou consulta, e eu cheguei na porta e voltei pra casa. Motivo? Eu tinha passado à noite inteira acordada e estava morrendo de sono. Mainha é puta com isso! Rs


E foi passando, passando... Eu pensando em voltar pro Judô, mas o joelho ainda doendo. Aproveitando que minha mãe teria que ir ao médico hoje, ela mesma se encarregou de me levar junto, segundo ela, eu teria que mostrar os exames ao médico de todo jeito, mesmo que lá estivesse dizendo que estava tudo normal – ela estava certa. Lá fui eu, saí de casa num dia de chuva, doida pra ficar um pouco mais na cama, mas dessa vez eu teria que ir.
Entro na sala, mostro a radiografia e:

- Hummm... Temos um encurtamento aqui... E outro aqui...
- Como assim Dr.? Aí está dizendo que está tudo normal.
-Normal para o radiologista que avaliou, normal porque não tem nenhum cisto ou tumor, mas a sua cartilagem está se encurtando, por isso, as dores.
- Ah não! Era só o que me faltava Dr.!
-Então mocinha, você vai perder um pouco de peso para ajudar no tratamento, vai fazer fisioterapia, depois vai para o ortopedista, e... (...)
- E o Judô? Não poderei mais fazer? Não Dr, o meu Judô!!!
-Infelizmente não vai mais fazer, e nada de correr ou qualquer coisa que force o seu joelho. Caminhar pode, nadar seria bom. Mas, nada de Judô.
-Hunrum. Tudo bem =/

Judô, uma paixão tão latente. Tivemos dias ótimos, era o que me fazia levantar da cama nos dias mais desanimados. Foi o que me levou a fazer meu TCC. Foi o responsável pela única medalha que recebi na vida. Foi de prata, me deixando como vice-campeã pernambucana, mas essa medalha tem um significado todo especial pra mim. Era a minha superação ali, superação de alguém que nunca se deu bem nos esportes quando criança, de alguém que nunca havia dado uma cambalhota antes. E só eu sei o quanto foi difícil aprender os rolamentos...rs Se não fosse a voz do meu Sensei me mandando continuar, eu não teria conseguido.


Angélica, eu não queria te culpar, mas... Sua filha da mãe!!! Você lascou meu joelho numa imprudência, numa entrada mal feita. Você limitou o meu envolvimento com o Judô, e agora... Você nem treina mais! ¬¬ Não por não poder, como eu, mas por opção sua.

*Sentindo uma faísca de raiva

E com isso, vai-se também o desejo de entrar nas forças armadas. Com o joelho condenado desse jeito, o que eu poderia fazer??? Talvez as dores sejam superadas com o tratamento, mas o joelho nunca será o mesmo. =/
Ko-soto-gake, nunca mais esquecerei o golpe que me levou ao chão.

E mais uma vez... Vejo uma paixão indo embora. Mais uma vez, um desejo que nunca mais poderá ser realizado... EsaEX, nem pensar!

Mas, a vida continua... Go!

Um comentário:

Sedokao Morutaru disse...

Olha Só vc pratica judô?
Que belo Eu também :D