Pages

quarta-feira, 10 de junho de 2009

A covardia dos covardes


O que eu digo aos covardes? O que esperam os covardes? Aqueles que têm medo de amar, de serem felizes... Aqueles que por medo de sofrer não tentam, que por medo dos preconceituosos não levantam a bandeira da liberdade, a liberdade de si mesmo.

O que eu poderia pensar dos covardes? Que preferem continuar com suas vidas medíocres e sem sentimentos, mas respeitando os padrões.

Eu fujo das regras, quero ser a exceção. Isso não tem nada a ver com querer ser rebelde, ser do contra. Pelo contrário, eu sou a favor. A favor da vontade, do sim, da liberdade, por mínima que possa ser. Somos livres para fazermos qualquer coisa, desde que, isso não venha prejudicar o próximo, claro.

Chega de regras! No jogo da minha vida quem dá as cartas sou eu. E se você tem medo de me acompanhar, por favor, não me empeça de segui-lo.

Você se nega pra vida, e ela automaticamente se nega pra você. E quem nunca teve medo? Quem nunca foi covarde? Mas, depende exclusivamente de nós dizermos não a esses sentimentos opressores.


PS: Você nem vai saber que escrevi isso pensando em você, você nem vai chegar a ler. Não sei se sinto pena, ou simplesmente aceito a sua escolha. Desejo quee seus dias não sejam tão escuros quanto o receio que vejo em seus olhos.

Um comentário:

Dustin disse...

"Daqui pra frente eu vou fazer historia Quem não entende pode ir embora"

Scracho.