Pages

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Pode ir


O que é isso que me ofereces? Migalhas que chamas de amor? Não, não... Leve de volta. Não aceito pedaços, quando me dou inteira. Se sentimentos pra você já virou brincadeira, pode sair, e não volte mais.
Não me procure quando a cama estiver vazia, quando o frio dos dias lhe fizer gelar. Não queira me tocar com essas mãos tão frias, nem me olhar com esses olhos distantes, mesmo tentando disfarçar. Se quiser me abraçar, me faça queimar!
E se não for pra ficar, é melhor nem entrar... Pode ir, não vou mais te encontrar, não ficarei mais a esperar. Esperar por um futuro que só existe nas minhas imaginações.
Eu já entendi. Meu amor, pode ir. Não vou mais te pedir pra ficar, ter só a metade é não ter nada. Você não é a metade que me faltava, você é o todo que me completa.
A porta está aberta, vai!

7 comentários:

Dustin disse...

Chorei! Você escreve com a intensidade de mil trovões que bradam no vazio do céu e que só eles sabem pra quem...

Everson Russo disse...

É simplesmente lindo, emocionante, chega a arrepiar a forma que escreve, um apelo do amor ao amor, o amor que pede atenção, carinho, procura a paz, lembrou me Renato Russo quando ele diz, "...Não precisa vir se não for pra ficar...", acho perfeita e muito bela sua intensidade ao escrever...beijos menina do coração de ouro e um otimo final de semana pra ti...

Maiçá Chaves disse...

Eu seinti bem aqui tuuudo desse texto!
Lindo tati!

bjus

meus instantes e momentos disse...

passando para te desejar um belissimo e feliz final de semana.
lindo post.
Beijos.
Apareça
Maurizio

Solange Maia disse...

Tatiane,

Você fala a voz de todos nós...
Conduz o coração a sentir tua dor, teu amor...

É lindo isso !
E raro.


Amei.

Beijo muito especial.

Claudinha ღ disse...

"Um pouquinho de poseia inspirando-me em seu belo texto..............................Se for pela simples metade que merecer, perante o julgamento teu, prefiro deixar-te. Um amor não se pode deixar estraçalhar em pedacinhos como se pudesse ser reconstruído quando lhe der vontade. Prefere o nada ao quase nada. Pq quem quase tem, nada tem, pq quem quase vive, ja morreu (disse o poeta)e quem quase ama, não ama."
bjs
att: Claudinha

Juliana Porto disse...

Como dizem por aí: "Beijomeliga"

=)