Pages

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Retrospectiva 2009


No Natal eu estava conversando com mainha a respeito do ano de 2009. Minha reclamação é que tinha sido um ano trevoso. Daí, ela me lembrou algumas coisas que já havia esquecido...

- 2009 foi o ano que eu mais viajei. São Paulo/Salvador/São Paulo/Festival de Inverno


- 2009 também foi o ano que eu mais fui pra balada. E como fui. São incontáveis os finais de semana que virei à noite no bar, dançando e bebendo como se fosse a ultima coisa que eu ia fazer na vida.


- Dormi fora sem precisar dá explicações (uiiiii)

- Em 2009 pessoas especiais passaram a fazer parte da minha vida, mas também estou deixando nesse ano pessoas que não quero mais que façam parte do que está por vir, sobretudo, agora. ¬¬

- 2009 foi um ano produtivo nas minhas escritas, pelo menos, assim o sinto.


- Acredito que esse foi o ano que eu pude ler mais. Ler livros que me dão prazer, e não por obrigações acadêmicas.

Como minha mãe diz, foi um ano de férias. E por um momento, eu quase me esqueci do quanto eu curti minha vida esse ano. E fiz do jeito que quis, sem pudores, sem medo. E foi bom. Não, não. Foi ótimo!


2009 termina com um sabor amargo. Minha mãe internada, esperando por uma cirurgia no coração. E apesar disso, eu só posso agradecer por ela está aqui. Seja do jeito que for, amargo ou doce, estar com ela é o que importa verdadeiramente. E mesmo na dor, nos sorrimos porque temos uma à outra.

2009 foi um ano de descobertas, de perdas, de ganhos, de lágrimas, de alegrias, de saudades, de amor, de liberdade... Sem sombra de dúvidas, um dos anos mais intensos da minha vida.


Que 2010 venha repleto de coisas boas. E acima de tudo, muita saúde.
Desejo um feliz ano novo a todos, e que os desejos que não foram realizados em 2009 possam se concretizar nesse ano que se inicia. Paz e luz!



*Mes amores que amo tanto*

domingo, 27 de dezembro de 2009

Hospital - V


Na noite de Natal, ela estava esperando Papai Noel pela janela do quarto.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Hospital - IV

E ainda estamos por lá. Tudo caminha bem, embora o processo seja lento. Nesse caso, lentíssimo.Ela espera estar em casa na virada do ano. Vamos contar com isso, né?


Minha filhinha ás vezes é bem rebelde (é assim que ela diz que é, que invertemos os papéis. Ela filha, eu mãe). Quer fazer coisas que não pode, comer o que não deve. ¬¬ Ah sim, comer é o que ela mais faz. Não aquela comida sem graça de hospital. Mas as porcarias de biscoito sem gosto que ela tem direito.

Algumas noites sente o peito pesado, em outras o sente doer. Mas no geral, está ótima. A Dra. vive dizendo isso pra ela. O que a deixa bem animada, e a nós também, que torcemos pela breve recuperação.

Hoje faz 15 dias que ela não volta pra casa. E é tão ruim. Em noites como essa, eu durmo aqui, mas é estranho. Estranho não ouvir os passos dela pela sala. A voz gritando pelo cachorro. E por falar nele, vive cheios de saudades. E é tudo tão recíproco. Aqui na rua de casa muitos a conhece como: “a mulher do cachorro branco”. E não há um só dia que no mínimo umas cinco pessoas não perguntem por ela. Sim, minha mãe é uma pessoa muito querida. No fim, só me resta dizer que eu sinto saudades. Saudades dela aqui, na nossa casa, na métrica da nossa vida. Quero a normalidade anormal dos nossos dias – aqui.

Eu? Bom... Ando me enchendo de remédios (dessa vez com os certos). Tinha melhorado no começo da semana, mas agora... Paf! Estou ruim outra vez. Deve ser o clima do hospital que me deixa assim. Por certo, minha imunidade tá lá em baixo.
No mais, estamos indo... Indo em busca da recuperação. E que seja breve.

Olha o Natal chegando aí... How-how-how.

Mainha quer um coração novo de presente. Nem precisa de tanto. O coração dela é tão bom pra ser substituído. =D

Aos que torcem por nós, o meu muito obrigada!



quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Hospital - III

E dessa vez quem foi parar no hospital fui eu. ¬¬ Sim, no ato da minha loucura ingeri 45 gostas de Berotec achando que era Dipirona. Uso 7 gotas de Berotec ( no máximo) pra me nebolizar e ainda fico tremendo, imagina tomar 45??? Owwww!!!

O coração foi a mil, além de uma tremedeira do infernal. Fui socorrida lá pro hospital aonde mainha tá internada. E ela nem sabe disso. Se soubesse, capaz de ter um troço de vez...aff! Bom, agora já estou melhor. ¬¬
Peguei uma bactéria fodida naquele hospital, estou aqui que não dou uma palavra. To fazendo já tratamento com antibióticos... Que a recuperação seja o mais breve possível. Ahhh... E pra variar um pouco estou com crises de asma. E nesse exato momento me nebolizando. ¬¬

Quando as coisas estão ruins a lei de Murphy prova que pode ficar ainda pior. Que coisa!

* * *


Mainha tá melhorzinha, depois de ter me dado mó susto antes de ontem. Teve que nebolizar o dia todo, estava bem cansada. Mas agora, está tudo bem. Graças a Deus.

É provável que a gente passe o resto do ano lá no hospital. Ainda temos que esperar os exames, o coração se estabilizar um pouco. Do jeito que tá agora, não tem como fazer. Tem uma veia que está em estado gravíssimo, segundo a Dra. Bom, mas pelo menos agora já é certo, assim que estiver tudo ‘ok’, ela opera.


=)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Hospital - II

Mainha está dormindo mais tranquila essa madrugada. Ainda bem! Tem sentindo uns calores incômodos, mas creio que isso deva ser efeito da dezena de remédio que ela tem tomado. O que ela mais reclama é da injeção que é aplicada na barriga duas vezes ao dia. Diz que queima. E ela sempre se contorce toda. Nas vezes que estou aqui abraço-a, enquanto a enfermeira faz a aplicação.

Estou tão cansada! As madrugadas aqui dentro não são nada fáceis. É uma maratona de 14h em média. Mas não reclamo. Que bom que posso estar ao lado dela. E assim será, até que a gente possa voltar a dormir na nossa casa outra vez. Espero que seja breve.

Mais uma vez agradeço ao carinho de todos. Amigos, familiares e blogueiros. Nesse momento as boas vibrações são fundamentais.


Beijo-beijo.


07/12 - 04:21

domingo, 6 de dezembro de 2009

Hospital -I

Não é nada agradável ficar por aqui, isso não é nem difícil de imaginar. De noite, acho que as coisas ficam piores. Não sei se é porque eu fico aqui nesse horário. É pode ser isso. As horas não passam. Os pacientes ficam impacientes – fato. Uns corações que batem mais acelerados que o normal, outros que querem parar. É angustiante! Aí vem o sentimento de impotência.
Mainha ontem fez cateterismo, na tentativa de desobstruir umas veias. Mesmo assim, será necessário fazer ponte de safena. Depois de uma semana infartada (sem saber), foram comprometidas três artérias. Ela agora ta mais tranquila. Não tem sentido mais dores, nem falta de ar. Isso de certa forma me deixa aliviada.
O notebook não tá encontrando nenhuma rede de internet (estava pensando em “roubar” a daqui do hospital). De qualquer forma, já é bom ter um computador ao alcance das mãos. Ouvir música, assistir anime... Ajuda a me deixar um pouco mais calma.
Pinnnnn...Pinnnnn... Ai ai! Tem um coração pedindo ajuda. Putz! Isso sim me deixa com os nervos a flor da pele. Hoje de tarde morreu uma moça de 29 anos aqui na sala onde estamos. Eu não estava aqui no momento, mas uma sra. ficou tão nervosa na hora, que passou muito mal mesmo,. Foi transferida as pressas pra outra ala.



ps: Agradeço à todos que estão mandando vibrações positivas para melhora da minha mãe. Obrigada mesmo!

ps¹: Quando tudo isso terminar, eu volto a ler os blogs que acompanho. No momento, não tem a mínima condição pra isso.



sábado, 5 de dezembro.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

EMERGÊNCIA!!!

Madrugada de puro pânico.
O coração dela infartou.
Tá internada numa cadeira de plástico. Nosso plano de saúde é o SUS ¬¬
E tudo que minha mãe me pede é um pão com manteiga.

Não sei quando volto e quando voltar, que seja pra dá boas notícias.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Chama acesa


Teu esquecimento
é tormento.
Aperta o peito
Deixa rolar uma lágrima.
Várias.
Nossos momentos
Vão se perdendo com o tempo
Mas eu ainda tento te manter aqui
Chama acesa
Me queima!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Cassino da alegria


Embora esteja de maresia o ano inteiro, o gostinho de férias me deixa eufórica. Eufórica e feliz. Jogatina, bebidas, risos, conversas, palavrões... Com vocês é tudo tão mais divertido. Uno pra gente!

Saiu um pouco de mim, das angustias, das saudades infinitas, dos conflitos, da falta de ânimo. E simplesmente me sinto feliz. Felicidade encontrada em horinhas de descuido, como diz o Guimarães Rosa.

Saí quem tem dozão. Bate, Janine! ÊêêÊê.... De virada é mais gostoso, seu frango! (aqui no Recife frango é gay). Desce mais uma cerveja. Aumenta o som.

Vamos jogar buraco? ¬¬ Buraco de cu é rola!

Carta de ação, todo mundo levantando a mão. Quem vai pegar mais 8 cartas? Silêncio pessoal, olha o 7 na mesa. UNO!

A filhadaputinha, venceu!
Abriram-se as portas do cassino aqui em casa, gostinho de férias por duas semanas. Vamos aproveitar né gente?

*Minha preta veia
*Meu frango
*Bia-carai

e

*Eu (não, eu não tenho apelido – ha ha ha)


Alegria, alegria... E álcool! A brincadeira aqui é de gente grande, quem não aguentar que CORRA!


Ai delícia, ai ai delícia

ps: no final fica tudo meio embaçado mesmo...rs