Pages

sábado, 30 de janeiro de 2010

Palavras afiadas


Foi a primeira vez que tuas palavras me cortaram. Emudeci. Não tinha mais nada a dizer. Dentro de mim ecoava a grosseria exposta na tua voz.
Deixei as minhas leituras de lado, já não conseguia me concentrar em mais nada. Perdi a vontade de qualquer coisa. Nem o sono me veio como alívio. E tuas palavras ainda me latejavam a carne. Aí vem essa angustia que invade. Não peça desculpas – não peça. Aliás, não me fale mais nada. Deixa passar... Deixa as horas calar essa voz que grita em mim. Está fazendo um estrondo e é ruim. É ruim demais.

E talvez quando tudo isso passar, eu volte.

K.

#E foi tudo que encontrou ao voltar do seu surto de palavras afiadas.

21 comentários:

.Leonardo B. disse...

[não é a luz dentro do quarto interior que nos asfixia, mas a sua e nossa escuridão]

um imenso abraço, Tatiane

Leonardo B.

Dandara disse...

O grito de tão amplo ensurdeceu o corpo mas aumentou os ouvidos do coração.

p.s.: o vento aqui sabe, mas tem um fuso horário da gota que confunde tudo.

Erica Ferro disse...

Quando passa, a gente volta; quase sempre volta.

Beijo.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Todo mundo um dia precisa se recolher, na expectativa de que a dor vai passar e passa.

Falei do Balaio de Noca na minha última postagem, talvez goste ou não.

Abraços!

Essência e Palavras disse...

Tati sumida!
Melhorou? E sua mãe/ também/ rs

Beejo amiga, adorei seu texto. Forte e intenso!

Felicidade Clandestina. disse...

a gente volta sim...
só que mais crescida, mais recomposta, espero que assim seja.

Beijos doces flor. :**

Dauri Batisti disse...

Que belo blog! O layout é um dos melhores que ja vi. O texto muito bom. Cuidas bem das tuas palavras pelo que vejo, e nem cedes ao sentimentalismo para apurar a beleza do que escreves.

Um beijo

Nany C. disse...

Queira!
Depois,...(rs) é só cantarolar!


Beijos em teu coração!

Ótimo domingo, linda!

=)

Mahria disse...

Esse estrondo é ruim, ruim demais mesmo. Mas ele passa, se passa. E quando você volta, sente vergonha de ter sofrido por causa dele...

Bjs em ti
Mah

Luna Sanchez disse...

Alguém já disse que a palavra proferida é como a flecha lançada...por isso que, mesmo dentro da minha intempestividade, encontro o jeito de não dizer coisas que possam ferir. Quase sempre consigo.

Beijo, Tati. Obrigada pelo carinho, lá no blog. É um prazer recebê-la.

ℓυηα

Alan Félix disse...

palavra é faca de dois gumes.

nos leva ao céu e ao inferno.

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Sim, isso é muito ruim. Por mais que a ente queira o contrário, sempre haverá alguém pronto a nos ferir, ainda que sem querer. É a vida, talvez, mas bem que podia ser diferente.

Everson Russo disse...

Tudo passa, todas as situações são superadas,,,com o coração ou não....um beijo e uma otima semana pra ti.

Dustin disse...

Sinto o corpo leve e o barulho sensando, volto e vejo um novo dia, esperando por mim radiante e renovador.

Varda disse...

Definitivamente palavras machucam(e muito)

Kanauã Kaluanã disse...

Palavra é coisa forte.
Faz estilhaços.

Há de se juntar cacos de sílabas a ver se saram... ou se /é/ vão.

Beijos.
.
.
.
Katyuscia.

Sandokan disse...

Às vezes é preciso abanar a árvore da existência para caírem as folhas velhas. Talvez seja por isso que eu não quero saber quem pintou o céu de azul, mas eu quero é o resto da tinta, porque nós podemos matar o tempo, mas é sempre ele que nos enterra.
Gostei muito de vir aqui visitar o teu belo espaço. No carácter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude. O destino une e separa pessoas. Mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas, que por algum motivo um dia nos fizeram feliz!
Boa semana!

Everson Russo disse...

Um beijo carinhoso pra desejar uma bela semana pra ti.

Natália Corrêa disse...

Palavra... A mesma que afaga é a mesma que fere. Depende de como se diz, depende de quem ouve.

Mulher na Polícia disse...

Só dói quando a gente ama.
Se ama vai passar.
Se não passar esquece pois não ama.

Beijo.

Erica Vittorazzi disse...

Eu voltaria, mas ainda ouvira um eco das palavras ditas. Demora para passar, eu sei.