Pages

sábado, 23 de janeiro de 2010

Quando o amor fala mais alto



Foi por amor, filho. Não me condene. Não diga que foi traição. Foi amor simplesmente. E só fazemos justiça quando sentimos amor, e eu sinto tudo isso por você.

A vida daquela moça era menos valiosa que a sua? Ciúme enlouquece, meu bom menino. Você pensou que a mãe dela também sofreria? Eu ainda tenho você. Apesar de tudo, tenho você. Ela não. Ela chora a morte de um sonho, de um pedaço que jamais será preenchido.

Seria injusto filho, te esconder em outra cidade. Enquanto a família da moça chora, por teu ato covarde. Será que eu nada te ensinei?
Lembra que somos responsáveis pelos nossos atos? Se foi impensado da tua parte, se em nada foi um crime premeditado, não importa. Ela se foi. E você a fez ir antes do tempo. Ciúme condena, filho. Amor liberta! E por amor, te liberto para que a justiça seja feita. Mesmo que para isso eu tenha que te entregar para eles.

Teu filho ficou aos meus cuidados. E outro dia, perguntou-me pela mãe. Todas as palavras do mundo pareceram se esconder de mim. Paralisei. Ele é tão pequeno e não entenderia o que nem nós conseguimos. Como tudo pode chegar a este ponto, filho?

O deixei na inocência da infância, ao menos por agora prefiro que seja assim. O processo judicial corre na justiça. A outra avó luta pela guarda dele. Só desejo que seja feito o que for melhor pra ele. Não quero nada pra mim.

Ele me sorri, e por dentro choro por você, por ela, por ele. Ele que perdeu a mãe, você que não vê o crescimento dele, ela que não verá o sorriso dele nunca mais. Esse teu ciúme sem medida destruiu mais coisas que você possa imaginar.

Estou com saudades da tua voz me cantando bom dia. Do teu (bom) humor. Saudades do filho que deixou de ser homem, para se tornar um monstro. Me dói dizer isso, mas foi exatamente o que fizestes. Uma monstruosidade.

Só poderei te visitar daqui a um mês. Antes disso, na tentativa de deixar claro que estarei sempre contigo, te escrevo essas palavras.

Um beijo acolhedor,



Tua mãe.

23 comentários:

Nany C. disse...

a outra face da moeda...
chorei...

bjs

Maria disse...

Uma definição perfeita do que as próprias mães dizem do seu amor. Reconhece o erro, mas mesmo assim acolhe. Condena a atitude, mas ainda assim ama.

Muito belo.

Um beijo

Natália Corrêa disse...

A prova de que ser pai não significa não ser mais filho. Mãe está sempre educando, e mesmo quando castiga, castiga com amor. Deixa que os filhos enfrentem as consequencias dos próprios atos, mas sem jamais abandoná-los.

Vivian disse...

...este é o amor mais sublime
que há.

e você é uma linda!

e falando de amor subline,
como vai a mamy, querida minha?

bj

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Imagino que não há nada que a gente possa fazer para que as nossas mães deixem de nos amar. Isso simplesmemte parece impossível para elas...

disse...

Nossa, que bonito. Bonito ver que uma mãe, não deixa de ser mãe, mesmo diante da ''monstruosidade'' de um filho.

Eu penso que é mesmo assim que as mães dos criminosos se sentem. E deve doer. Deve doer tanto quanto ou até mais que a morte de um filho (espero não estar sendo equivocada).


É o maior e melhor amor do mundo.

- maria elis disse...

quando procuro por um amor que seja verdadeiro e duradouro, me lembro do amor da minha mãe :)'

mary g. disse...

Uau... Que forte...
Isso nem é ciúme, é obssessão.
Belo depoimento de uma mãe desesperada.

Beijo.

Carolda disse...

Li esse seu texto pensando o tempo inteiro naquele cara que matou a ex-mulher com 9 tiros aqui. E em uma parte, me lembrei daquele menino... aquele que no final nas contas foi morar com o pai nos EUA. David, né? Me fugiu completamente agora... heh

Texto forte. Gostei.
Um beijo

Luna Sanchez disse...

Não existe amor maior, e, por isso mesmo, entende a obrigação de ser forte e pleno. E o é.

Lindo, Tati. Lindo!

Beijos, dois

ℓυηα

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Fabuloso.

E minha mãe o que ela faria? O mesmo.

Lelli Ramz disse...

Olá querida,

Vamos deixar claro, q o cíumes é o cancer do amor... pessoas sem finesse, ciumentas e sem um pingo de noçlão de lógica e amor

são assim... trnastornadas... verdadeiros monstros

e a mãe agora acerte.. entregandooooo

bjinuhs, casos e realidades
Lelli

Dustin disse...

sem palavras...

Ná Lima disse...

Amor igual a esse, somente o de mãe.
Que apesar do filho ter feito algo tão monstruoso, consegue liberar o perdão e não deixa de amar.

Ciúmes é mesmo uma doença, só sente quem não tem a capacidade de amar verdadeiramente e fica com a eterna desconfiança que leva a morte.

Gostei muito do seu blog, esse texto ficou muito bom mesmo. Virei aqui mais vezes!

Erica Ferro disse...

Mãe é mãe!

E ciúmes é algo venenoso, destrói.

Beijo, Tati.

Amanda O. disse...

Tudo que envolve cartas e mãe me faz chorar. Não sei explicar o por que, mas na maioria das vezes é isso que acontece.
Bonito o que escreveu.
Um abraço e obrigada pela visita.

Mulher na Polícia disse...

É...

É preciso muita coragem pra fazer o que é certo quando o resto exige que se faça errado.

Beijos.

Erica Vittorazzi disse...

Em nome do amor se faz tantas coisas que não é amor, matar por exemplo. E amor de mãe é amor de mãe, maior do que a própria razão.

HNETO disse...

O amor
ainda justifica
o bem
o mal
e suas
interseções.

Késia Maximiano disse...

Q mãe hein?

Elizabeth disse...

e não existe amor maior no mundo! amor de mãe é tudo.

Brunno Leal disse...

Belíssimo texto. Parabéns.

a magia da noite disse...

a incondicionalidade de um amor contra a cegueira de outro.