Pages

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Retrospectiva 2011


Mais um ciclo que está chegando ao fim. Mais um ano que recomeça. Tudo novo de novo (será?). 2011 foi um ano de muitas mudanças pra mim. No mais, foi um ano tranqüilo. Espero que 2012 seja infinitamente melhor, em todos os sentidos.
 
Em 2011 eu:

- Tive que fazer escolhas difíceis

- Comprei meu notebook – êêêêba \o/

- Li menos que nos últimos 2 anos

- Ganhei minha filhinha, Bella

- Mudei de emprego

- Fiquei 4 meses de férias (hahaha)

- Fiz novos amigos

- Fui amada e pude sentir isso verdadeiramente

- Chorei e fiz pessoas chorarem =/

- Amei os 365 dias do ano

- Mudei de cidade – Recife / Rio de Janeiro

- Fiquei perdida por 5min no centro do RJ (bizarro- hahahha)

- Renovei os votos do meu amor quando compramos novas alianças

- Desfiz preconceitos antigos \o/

- Fui feliz

Em 2012 eu quero:


- Ser feliz

- Comprar um carro

- Ter saúde

- Harmonia no meu casamento

- Ler mais

- Realização profissional

- Ver minha mãe, seja aqui ou em Recife.

*Amor, que em 2012 possamos nos unir ainda mais no amor.
Te amo, te amo, te amo!

FELIZ...FELIZ ANO NOVO!!!




sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Desejo um Feliz Natal a todos. Que nesse momento possamos refletir mais sobre o real significado da data.  Espero que sejamos mais compreensíveis uns com os outros, sejamos mais humanos.

Felicidades!!!


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Sedução


   Enfatiza em mim suas marcas
Beija, cala – me embriaga
Com seu corpo sedutor
Nesse momento mágico
Para você d.e.m.o.r.a.d.a.m.e.n.t.e
Me dou.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Calore

Um forno. É exatamente assim que amanheceu o Rio de Janeiro hoje. Estou muito chateada. Além desse calor infernal, aqueles filhos da puta, desligam o ar-condicionado do metrô. As janelas ficam todas fechadas e povo dentro se fudendo no calor. Hoje em especial, estava a visão do inferno. Você olhava de lado, as pessoas suando horrores, camisas molhadas... E detalhe, nem estava lotado. Era só uma sauna ambulante. Ontem que o tempo estava mais ameno, eles ligaram a porcaria do ar. É mesmo uma palhaçada com o povo.

Depois da reunião, fui almoçar com um colega num restaurante lá na Uruguaiana e quase tenho um troço de tanto calor. O restaurante com dois split e nenhum liga. Gente, o que é isso??? Que abuso! Eu almoçando, e suando... Indigesto não!? Só não fui pra outro restaurante porque não ia dar tempo de voltar na minha hora. ¬¬ Saco!

Também não bebo mais água gelada aqui nessa bodega, né? O filtro só manda água quente, mesmo que esteja indicando que estou tirando água gelada. =/

Ai eu fico pensando... Todo mundo fala que ainda nem esquentou direito, e quando esquentar? Será que vou aguentar? O negocio fica tão quente, que sinto dificuldade até pra respirar.

Hoje eu sou só reclamações. Vontade imensa de mandar todo mundo se f.u.d.e.r e ir à praia, piscina ou cachoeira. Pois só lá da pra suportar esse calor com um sorriso no rosto.

Caralho, caralho, caralhoooooooooooooo!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Tempo maluco

Esse tempo maluco.
Quer outra vez me derrubar.
Falta-me a paciência, e mais, falta-me o ar.

=/

Vácuo

É quase angustiante não saber de você.
Me deixe sabê-lo, ao menos.
E só.

Se feliz, se triste... Só me deixa saber.
Sim?!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Pequenos gestos

Sabe amor, ás vezes são os pequenos gestos que fazem tudo valer à pena. É o seu olhar me sorrindo as escondidas numa roda de amigos. Seu corpo procurando o meu calor na madrugada. Nossas mãos que se procuram e se entrelaçam mesmo quando estamos dormindo. São essas coisinhas miúdas, e a simplicidade delas, que me deixa assim, cada dia que passa ainda mais apaixonada por você.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Married

Tem coisas que acontecem quando menos esperamos. Hoje de manhã cedo, eu fui ao médico. Tinha consulta marcada desde semana passada. A clinica fica dentro de um shopping lá em Madureira. Eu sei que, enquanto procurávamos a clinica, passamos próximo a uma joalheria. E tinha alguma coisa falando sobre alianças (que não lembro bem agora). Fui pra minha consulta normal, e saindo de lá, resolvemos ir até a joalheria para olhar alianças. Só olhar mesmo.
A vendedora perguntou sobre o nosso gosto, para poder apresentar alguns modelos. Falei como eu queria e ela nos mostrou umas. Eu prefiro as mais tradicionais. Sem pedrinhas e afins. Nem muito grossa, nem muito fina. E... Tinha que ser de ouro. Ela conseguiu nos mostrar uma, pela qual me apaixonei. E quando eu me apaixono por uma coisa, sabe como é né? Tivemos que comprar. =) Depois andamos mais um pouco no shopping, enquanto estavam gravando nossos nomes nas alianças. Agora não paro de olhar pro meu dedo, está muitooooooo lindinha mesmo.
O que pagamos valeu a pena. A vista, ainda teve um desconto bacana. Certificado de ouro garantido e todos aqueles cuidados. E no mais, nossa satisfação por comprar algo que queríamos a tempos.

Feliz, feliz da vida.

=)

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Cocoricó

Irritação:
Hoje acordei com as galinhas. Ainda estava escuro quando saí de casa para vim trabalhar. Cara, se tem uma coisa que eu fico puta, é com gente que não toma banho antes de sair de casa. Puta que pariu! Poxa, de manhã cedo você já entra no metrô lotado, e ainda tem que ficar sentindo aquele ar azedo nas narinas? Sacanagem isso. Se a água está fria, coloca no morno. Se não tem chuveiro elétrico, esquenta água. Minha mãe fazia isso quando eu tinha que ir para escola e estava frio. Tão simples. Ser limpinho não dói, sabe? Tem gente que já dorme pronto. Do jeito que levanta da cama, mal escova os dentes e sai fora. Isso é homem, é mulher. Caramba! Eu fico verdadeiramente chateada com essas coisas. ¬¬ Ora porra!

Animação:
Estou com sono. Bastante sono. Acordei ás 5h e fui dormir 1h. Tenso! E quando sair daqui ainda vou passar no bar ( da minha cunhada), esperar dona amor terminar de fazer as coisas, e... ir fazer compras! =D Esse clima “gastador” de Natal tem me animado esses dias...rs Minha conta que não fica muito contente com isso, mas... De vez em quando eu mereço, né? (estou sendo modesta, eu sempre mereço luxo. Hehehe) \o/\o/\o/ O que será que “babito di natale” vai me dar de presente? Até que eu fui uma menina boazinha esse ano. ^^

E por falar em compras e presentes... Nem sei que roupa comprar. Sinto falta da minha costureira top de linha. =/ Provavelmente, ninguém vai me deixar usar preto esse ano. Ouço reclamações constantes sobre mudar a cor do meu guarda-roupa. É difícil, mas eu tenho tentado.

Ambos:
Agora deu fome. Na verdade, ela já veio e foi embora umas três vezes. E falta mais de 1h para o meu lanche. Ainda vou ter que ir comprar lá em baixo. Saco! Hoje um dos pratos no bar é feijoada. Vou almoçar láááááááá. Amo muito tudo isso!

Ai ai... Mais um final de semana chegando. o/\o

Ciao!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Que calor!

Gente, essa cidade está muito quente. Se eu já reclamava do sol de Recife, aqui então... Putz!
Eu tinha que vim morar justo na cidade do calor, né? Eu mereço mesmo.
O que eu acho mais legal, é que quando for final de semana, o tempo vai fechar...rs Só pra atrasar a praia do pessoal. Hehehehe. Tempo mau!

=D

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Memorian

Quem foi mesmo que escreveu, que a única certeza que temos da vida é que um dia todos nós vamos morrer? Bom, isso agora já nem tanta importância assim. Mas, é a mais pura verdade. Então, não perca seu tempo com coisas miúdas, que não traz felicidade nem para sua vida, nem muito menos para vida das pessoas que te cercam. Se permita ser quem é, e aprenda aceitar as pessoas como elas são. Respeito é algo primordial para vivermos em sociedade. Não vale apena desperdiçar nem um segundo que seja dos nossos dias, desejando o mal ao próximo. Erros e acertos todos nós temos. Uns mais acertos, outros mais erros. Viver a vida, é nossa obrigação aqui nesse mundo, e vivê-la intensamente é o mínimo que podemos fazer.
Vamos ser mais felizes, mais otimistas, mais companheiros. Vamos nos permitir. Vamos amar ao próximo, por mais defeitos que a gente acredite que ele tenha.

A vida é uma só, e é breve.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Simplesmente dói

É difícil não sentir sua ausência. Difícil não desesperar ao olhar do lado e não te encontrar. Eu juro que tenho tentado de todas as maneiras não pensar nessa distancia que tanto nos maltrata. Estou sendo forte, mas dói tanto. Na solidão da nossa cama, despejo meus soluços tristonhos. Anseio desesperadamente teus braços me abraçando, tua boca me procurando, me provando inteira.
Saudade dói, e aquela que temos que silenciar machuca ainda mais.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Hoje não é o dia

Hoje é um daqueles dias que eu não deveria ter saído de casa. Simplesmente tudo está dando errado. Uma furada atrás da outra. Caramba!
Já comecei o dia péssimo, com um sarro coletivo no metrô. A sandália arrebentou quando estava chegando aqui no trabalho (foda). Dentre outras coisas que eu prefiro não comentar aqui.

Minha cabeça vai explodir, dor do cão! 
=/

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Tem preconceito sim senhor

Três meses passam rápido, né? Parece que foi ontem que eu cheguei aqui. Tantas saudades de casa. Um turbilhão de situações ao mesmo tempo. Complicado, mas superável. A vida é feita de escolhas, e eu fiz a minha. Não reclamo. Embora fique meio assustada ás vezes. Estou crescendo, sinto isso.

Carioca tem preconceito com nordestino sim. Não são todos, claro. Mas existe muito. Todos com quem converso ficam surpresos por eu não ter o sotaque arrastado que eles julgam típico de todos nordestinos. Outro dia, a garota parece até que ficou chateada por eu não ter o sotaque que ela esperava que eu tivesse.
No inicio do mês, estava na reunião aqui do trabalho, os colegas quando ficaram sabendo que eu sou de Recife. Ficaram olhando para mim, como se eu fosse um bichinho num zoológico, rodeado de uma platéia interessada. “ Ainda não ouvi você falando, fala aí só pra eu ver como é. – Falou um dos garotos.” Bobo não?! Coisa mais chata e sem noção. Vou levando na esportiva, mas no fundo eu fico mesmo é com raiva. Ninguém aqui no trabalho me trata mal por eu ser nordestina. Acreditam mesmo que eu tenho defeito de fábrica, que não falo arrastado como deveria. Isso é decepcionante para eles. E essa é a minha “vingança”. (Hehehe)

No mais, tudo tranquilo. O transito daqui é uma bosta, mas o de Recife também não estava muito diferente não. Aos poucos vou me adaptando.

Estou gostando de morar aqui, mas sinto saudades de mainha. Saudades imensas. Quem sabe ela não vem me visitar antes mesmo d´eu ir em Recife? Afinal, não posso nem pensar em férias por enquanto.

É isso... Fui!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Sentença - XII

De vez em quando é bom receber elogio, mesmo que a pessoa não fale diretamente pra você.



Ps: Ainda fico me perguntando qual a dificuldade que ele tem comigo. Até para  me elogiar, ele diz pra outra pessoa. Por sorte,(ou azar) eu ouvi.

sábado, 19 de novembro de 2011

Notícias de cá

Novidades, novidades... Isso eu tenho aos montes. O que não tenho mesmo é tempo pra ficar vindo aqui no blog (pena). Aliás, tenho entrado bem pouco na internet.

Esses dias tenho sentido muitas dores no ombro esquerdo, que vai descendo pelas costas. Numa madrugada dessas acordei até desesperada, porque quando eu respirava estava doendo muito. Daí comecei a pensar um monte de besteira. Ontem falei com a fisioterapeuta aqui do trabalho e ela me disse que pelos sintomas, parece mais uma tensão muscular mesmo. Que com massagens poderia resolver isso fácil, mas caso continuasse eu ia ter que ir ao médico mesmo. Como a numeração da carteirinha do meu plano de saúde já chegou, essa semana vou tentar marcar um ortopedista. Afinal, não é de hoje que tenho sentido essas dores. E pra falar a verdade, tenho que marcar médico pra umas quatro especialidades. Chatão isso! Mas, fazer o que? É o melhor que eu tenho a fazer.
Tirando essa maré de médicos e enfermidades...

Tô puta da vida com o pedreiro. Recebeu o pagamento na quarta-feira, e desde então, sumiu no mundo. Pediu material, a gente comprou. Já fiquei sabendo que o material chegou ontem e está lá na rua. E ele simplesmente não dá nenhuma satisfação. Já ficou avisado, se sumirem com 1 tijolo que seja ele que vai comprar com o dinheiro dele, porque o meu, não é encontrado na zona. Me arretei! ¬¬ Mais de um mês em obra e o cara fica ensaboando... Ninguém merece!

Estou aqui no trabalho, uma calmaria só. É tão tranquilo que dá sono. Ah! Fiquei feliz em saber que tive promoção de horário. Êêêêêê \o/\o/
Ia no cinema hoje, mas nem vai rolar... Vou pra casa mesmo, organizar as coisas da semana toda. Vida de gente grande é tão atarefada...rs

No mais, está tudo na tranquilidade.

Só pra constar: Seu Gu, termina logo essa obra!!!


sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Um mês

O tempo passa mesmo rápido. Hoje já faz 1 mês que estou aqui no Rio de Janeiro. E só Deus sabe quando volto pro Recife. Novos projetos de vida, novas oportunidades.  Por aqui, corre tudo bem. Vai ficar melhor ainda quando minha casa estiver pronta. \o/
Ontem tomei meu primeiro porre desde que cheguei. Nooooosssa! Fiquei de graça mesmo. Nem me lembrava do dia que tinha ficado daquele jeito. Foda! Acho que amanhã vou pra Lapa, só acho mesmo, ainda não confirmei nada com a Elaine.
Tinha umas coisas pra registrar aqui, mas vou deixar para um outro momento, estou sem saco agora.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Uma certa viagem


Depois de algum tempo sem nenhuma viagem, lá vou eu alçar voo novamente. Dessa vez, o destino é o Rio de Janeiro. Não sei ao certo por quanto tempo vou ficar, só sei que estou indo. A viagem é amanhã e ainda tem um monte de coisas pra organizar.  Estou ansiosa. Um mês sem ver meu amor, e o coração está aos pulos.
Bom, assim que puder. Venho aqui contar alguma novidade.

Cidade maravilhosa... ai vou eu!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Você é uma ilha

Ela entendia pouco. Na verdade não entendia nada. Ou não queria. Não sei bem ao certo o que se passava naquela ilha, a quem todos chamavam carinhosamente de coração. Ela pedia  o mundo, e tudo o que eu tinha para oferecer era o meu amor. E eu o oferecia como  a minha própria vida. Nunca pedi mais do que a atenção e o respeito dela. Mas isso era demais para o seu mundinho profundamente egoísta. Tudo queria, e nada bastava. Sempre assim.

Eu a via frágil, totalmente desprotegida do mundo, e principalmente de si mesma. Nunca quis tomar as rédeas da sua vida, mas cuidava para estar sempre lá quando ela precisasse de uma mão para segurar. Era seguro pra ela. E o que eu tinha? Um amor que existia apenas das minhas imaginações do que poderia ser. Sim, porque em nada ela o alimentava. Mas ela dizia me amar, dizia me precisar. Palavras tão cheias do vazio que vinha dela. Tão egoísta. Queria um peito pra chorar sua vida frustrada. Queria um colo para se sentir aquecida. 
Sem muito cuidado, ela pisava em todos os sentimentos que eu lhe oferecia. E um dia a gente cansa, sabe?! Um dia a gente se vê impotente. Afinal, não podemos obrigar ninguém a nos amar, e muito menos aceitar o nosso amor. Então a única alternativa sã é partir. É tão idiota me repetir tanto, e assim. 
O amor não mudou, esse não muda nunca. Ele é todo e completamente seu, mesmo que você não o aceite.

domingo, 14 de agosto de 2011

Ahhhh.... Você!

...Você é a minha casa...
Deixa eu te morar!

Pai & Filha

Se ao menos pudéssemos ser pai e filha...

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Fragmento - II

Fazia tempo que ele não vinha me visitar, tanto tempo que mal consigo me lembrar da ultima vez.  Quase nada mudou. Quer dizer, mudar mesmo mudou. Afinal, tudo muda. O que não mudou é como me sinto toda vez que ele volta.

Quando ouço os seus passos firmes pelo corredor, meu coração fica aos pulos, tanto que nem consigo controlar. Ele fala ao meu ouvido, me abraça, me entra e me toma como ninguém.  Tantas vezes eu pensei que não seria mais assim, que seria tanto faz, mas ele em mim é sempre algo mais.

Já se foi outra vez. Eu fiquei procurando os pedaços, o pouco que restou de mim. Sei lá, sempre fico assim meio desestruturada, o engraçado é que ele fica distante o tempo suficiente para eu me recompor, parece mais que gosta de me ver em pedaços.  Que loucura.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Olhando e vendo


Foi bom olhar pra você e ver que as coisas mudaram. Que não sinto mais o meu coração aos pulos ao te encontrar, que meus olhos não veem você em cada lugar por onde passo.  Os dias ficaram mais leves, isso eu já havia percebido. Você não me movimenta mais como antes, aliás, é totalmente imperceptível aos meus sentidos. É bom saber isso. Eu que acreditei que jamais me curaria de você por mais que os dias passassem. E olha só pra mim, me refazendo, me redescobrindo ainda melhor. Foi bom ter ido até o fundo do poço, pois agora eu consigo enxergar tudo com mais clareza. Foi bom ter te visto exatamente do jeito que você é, e não da maneira que eu te inventava pra mim. Sem arrependimentos, de fato. Só que agora passou e eu simplesmente posso sorrir sem nenhum pesar. Minha pele que outrora estava em carne viva, se refez. Me sinto tão forte agora! 
Estou em mim outra vez e não mais em você. 

domingo, 7 de agosto de 2011

Por Caio

“Eu te amo. Mesmo negando. Mesmo deixando você ir. Mesmo não te pedindo pra ficar. Mesmo não olhando mais nos teus olhos. Mesmo não ouvindo a tua voz. Mesmo não fazendo mais parte dos teus dias. Mesmo estando longe, eu te amo. E amo mesmo. Mesmo não sabendo amar.”

Caio Fernando Abreu.

sábado, 30 de julho de 2011

Querer urgente

O calor das suas mãos percorriam o meu corpo com uma urgência que eu jamais havia sentido antes. Como alguém que tem sede, ele buscava a minha boca em seus lábios, e como se a qualquer momento eu pudesse partir me rompeu num abraço de urso indescritivelmente quente. Eu quis ficar, me demorar naquele instante único, quis senti-lo de todas as maneiras possíveis, eu quis. O quis com a mesma grandeza de agora. E ao lembrar aquele momento, é como se pudesse tê-lo em mim outra vez.

domingo, 24 de julho de 2011

É mesmo estranho



Essa tua ausência me sufoca! Quase me desconheço frente ao espelho. Crueldade tudo isso. O relógio logo fica de mal comigo. Nada tem graça, sabe?







Traz logo o meu coração de volta, é estranho não sentir nada bater dentro peito.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Férias!!!

Demorou, mas chegou.
Agora é só felicidade, não sei por quanto tempo, mas estou de férias!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Sentença - XI


O certo não é mais o certo, ao menos é isso que me parece em algumas ocasiões. Ontem mesmo, ocorreu um fato que me deixou pensativa...  O novato, por seguir todos os procedimentos, de fazer o certo sem burlar NENHUMA regra é acusado de lento, de bobo, idiota. Será possível que as coisas tenham chegado a esse ponto? Aonde os “trapaceiros” são os bons, sim porque, o mundo é dos espertos. É errado ter moral? Fiquei bem chateada ontem.  Na verdade, ainda estou. 
Por acaso, hoje ele ficou do meu lado, dei algumas dicas no que pude, ao menos evitei que ele sem necessidade alguma ele fosse abusado moralmente pela nossa supervisora, o jeito com que ela fala com ele, na minha terra, se chama abuso moral e isso me deixa muito possessa.  

terça-feira, 10 de maio de 2011

Resultado da agressão

Uma semana do acontecido e ainda sinto dores.  Hoje resolvi ir ao médico, minha mão esquerda estava doendo muito. Ele passou medicação e imobilizou minha mão, vai ficar assim por cinco dias. O tendão está inflamado. E estou com uma mancha rocha no dedo que dói pra caramba.
Aquela desgraçada além da agressão física, me deixou mentalmente frágil.  Palmas pra ela! Nem pro curso quero mais ir. Na verdade, só continuo pegando ônibus porque é o jeito (por enquanto).

GrrgGrrrrrr...

terça-feira, 3 de maio de 2011

Agressão

 A violência está em todo lugar e isso ás vezes me parece tão assustador.
 Hoje, fazendo o meu caminho de toda terça, indo para o curso e... uma louca resolve me agredir dentro do ônibus.  Tudo isso porque a sobrinha dela que estava atrás de mim, começou a empurrar pra descer, e eu virei e disse: -tenha calma, todo mundo vai descer, eu estou tentando sair da sua frente, mas  com o ônibus lotado assim não dá,  tenha paciência! A louca começou a gritar: - ela tem problema mental né assim não. Eu: - sim! E você quer que eu faça o que? Todo mundo num tá descendo? Calma que ela vai descer também. E sabe qual foi a resposta? Ela veio pra cima de mim, me esmurrando, claro que eu não ia ficar apanhando de graça, devolvi. A mãe dela, uma senhora já, ficou na minha frente fazendo com que ela parasse (apanhando sendo meu escudo), e ela simplesmente estava enlouquecida. Fui obrigada a quebrar minha sombrinha na cabeça dela quando ela tentou me dar uma pesada. Puxava minha bolsa, querendo que eu descesse do ônibus, mas eu não ia descer nem por um decreto. Ela batia tanto na mãe tentando me agredir, que acabou quebrando o óculos da coitada e depois que percebeu isso, ficou ainda mais transtornada dizendo que eu tinha quebrado o óculos da mãe dela, veio querer me bater de novo. Dessa, me defendi com a própria sombrinha dela, quebrando-a em dois pedaços em cima dela.  O povo no ônibus gritando, dizendo que ela estava louca, pedindo pro motorista sair dali e aquele maldito nem pra fechar a porta. Enquanto isso, ela desceu, pegou uma pedra e jogou em mim, por sorte, pegou bem de leve. Não muito contente, ela voltou com um paralelepípedo e ficou me mirando do lado de fora pra jogar, todo mundo gritando pedindo pra eu abaixar. Outras pessoas também  se deitaram no ônibus assustadas. Ela tentou subir mais uma vez, quando dois homens (finalmente) segaram-na e o idiota do motorista fechou a porta e deu partida, não antes dela me jurar de morte ¬¬.

Todo mundo ficou assustado com o acontecido. E eu nem comento, desatei a chorar inconsolavelmente. Nem fui mais pro curso, tudo que eu queria era sair daquele lugar.  Cheguei em casa com a blusa rasgada, joelho machucado (isso foi quando tive que ficar rastejando no chão do ônibus pra ela não estourar minha cabeça com a pedra), braço arranhado...  Estou meio em choque até agora.  Provavelmente, nem vou trabalhar amanhã. Só em pensar em encontrar aquela louca outra vez me da vontade de vomitar.
Já detestada andar de ônibus, agora então... mil e um motivos.

Estou chateada, muito mesmo.

=/

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Fragmento - I

A história se repete na vida dela como se fosse um filme. A dor a percorre como se fosse o próprio sangue. Súplicas  sem fim, mudanças que nunca acontecem, esperas que nunca chegam. Dias sempre tão iguais. Desassossego do ser, sem ser. Ele nela, ela que se morre a cada dia  por não estar nele.  Não se são, e isso lhe dilacera o peito. 

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Meias palavras

- Um dia estaremos juntas outra vez...
Foram suas ultimas palavras ao sair pela porta. 

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Triacanto


Faz trinta dias que não nos falamos, ou seriam trinta anos? Sinceramente já nem lembro. Perdi a noção do tempo, e não sei ao certo quando isso tudo começou.

Olho para as minhas mãos tentando encontrar algum vestígio de mim mesma. Algo que faça eu me sentir em mim outra vez. Não dá, não consigo. Abrigo desgraçado foi esse que me acostumei contigo. Agora fico assim, sem saber de mim.  Ansiosamente bebo copos e mais copos de café, meus pulmões pedem socorro contra esse cigarro que me mata e não te tira de dentro do meu peito. Você está lá, sempre vivo e dilacerante. Desgraçado. Estou me querendo de volta, só não me encontro no meio de toda essa sujeira. Copos, papéis, pedaços de mim... Tudo espalhado nesse chão turvo.

Ah! Muito fácil pra você ir embora. Muito fácil esquecer o caminho de volta. Poderia ao menos deixar o mapa de mim? Desgraçado. Não me reconheço nem quando olho no espelho. Ferida exposta. Piedade!

Quanto tempo mesmo? Trinta dias? Ou seriam trinta anos? Roubou minha noção, meu chão. 
O que é isso? Calma, espera! Foi-se levando a luz, foice me cortando no centro. Quanto sangue, quanto de mim se esvaindo. Desgraçado. Me deixou afogada na angústia do desengano. Quanto tempo? Trinta dias ou trinta anos?

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Fome

Gosto quando a tua boca quente sacia a minha fome.
Come!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Remember


Lembrei.  Hoje eu me lembrei do teu sorriso amigo, senti saudades. Tanta saudade que pensei em ligar, ouvir  tua voz, senti-la em mim outra vez.  Chamei teu nome, ninguém atendeu. Você já foi, eu fiquei. Eu estou. Estou no mesmo lugar sem você. Estou como sempre, vivendo de lembranças tão antigas, de um passado tão presente – em mim.

Olha, me olha outra vez. Deixa eu sentir o calor do teu mistério. Deixa eu me sentir em mim, só por um instante, um breve suspiro de paz.  Me cala. Cala esse vazio, essa falta. Fala. Fala a nossa língua, fala pra esse medo ir embora. Fica. Fica comigo, vamos moldar um novo encontro, uma nova história. 

É possível?! (...)

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Conquista

Realizando desejos. Não importa o que seja, por menor que seja, o importante é realizar. Se realizar. Estou meio radiante, comprei hoje um objeto que a muito tempo estava querendo, mas por um motivo ou outro nunca conseguia, por fim, chegou a minha vez. Estou feliz!



São as pequenas coisas que faz com que nos sintamos grandes.
Sim, hoje eu estou grande.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

(Des)encontro


Partidos em dois pedaços. Metades que não se combinam, que não se encaixam – mais.
A linha que separa o que era inteiro é intransponível. Olhamam-se e não se vêem, tocam-se e não mais se sentem.
Duas almas desencontradas é o que somos.