Pages

sábado, 30 de julho de 2011

Querer urgente

O calor das suas mãos percorriam o meu corpo com uma urgência que eu jamais havia sentido antes. Como alguém que tem sede, ele buscava a minha boca em seus lábios, e como se a qualquer momento eu pudesse partir me rompeu num abraço de urso indescritivelmente quente. Eu quis ficar, me demorar naquele instante único, quis senti-lo de todas as maneiras possíveis, eu quis. O quis com a mesma grandeza de agora. E ao lembrar aquele momento, é como se pudesse tê-lo em mim outra vez.

domingo, 24 de julho de 2011

É mesmo estranho



Essa tua ausência me sufoca! Quase me desconheço frente ao espelho. Crueldade tudo isso. O relógio logo fica de mal comigo. Nada tem graça, sabe?







Traz logo o meu coração de volta, é estranho não sentir nada bater dentro peito.