Pages

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Fragmento - II

Fazia tempo que ele não vinha me visitar, tanto tempo que mal consigo me lembrar da ultima vez.  Quase nada mudou. Quer dizer, mudar mesmo mudou. Afinal, tudo muda. O que não mudou é como me sinto toda vez que ele volta.

Quando ouço os seus passos firmes pelo corredor, meu coração fica aos pulos, tanto que nem consigo controlar. Ele fala ao meu ouvido, me abraça, me entra e me toma como ninguém.  Tantas vezes eu pensei que não seria mais assim, que seria tanto faz, mas ele em mim é sempre algo mais.

Já se foi outra vez. Eu fiquei procurando os pedaços, o pouco que restou de mim. Sei lá, sempre fico assim meio desestruturada, o engraçado é que ele fica distante o tempo suficiente para eu me recompor, parece mais que gosta de me ver em pedaços.  Que loucura.

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Ele tem o poder que foi concedido por ti. E sabe usá-lo muito bem.

;)

Um beijo.