Pages

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Do que sei


Eu sei sabe, que você ainda pensa em mim. Eu posso sentir. Observo atentamente cada sinal que propositalmente você deixa escapar. Gosto. Além de tudo, é bom saber. Saber que ainda existimos. Por mais que seja desse jeito louco que só nós sabemos.
Não importa o tempo, nem onde. Seremos o sempre que tantos buscam.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Susto!

Um verdadeiro desastre o que aconteceu ontem, aqui no centro do Rio. O clima por aqui ainda é bem tenso, muita fumaça saindo dos escombros, ainda não se sabe ao certo se existe a possibilidade de novos desabamentos. Tudo é tão incerto ainda.

É meio assustador tudo isso. O desabamento aconteceu na mesma rua do meu trabalho, nosso prédio foi interditado até 2º ordem, assim como todos os outros que ficam na mesma rua. Fomos alocados em outro prédio da Petrobras que fica bem próximo. Contingencia, esse é o esquema de trabalho por agora. Em casa, todos ficam preocupados, né? =/

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

É tanto.

Eu gosto tanto de você, sabe? Só espero fazer você sentir o quanto – o tanto. Ao seu lado eu posso ser quem realmente sou, sem pudores, sem medo. Sabe o que mais me deixa encantada? É que você conhece todos os meus defeitos e deslizes, e mesmo assim, me ama. E me ama muito. Eu sinto isso.
Tão iguais, tão distintas. Somos assim. Somos o que somos. E nesse encontro mágico que a vida nos proporcionou, nossos corações resolveram se juntar, resolveram se amar. E eu nem queria, né? Não por não acreditar que você fosse uma boa pessoa, mas é que eu estava tão estilhaçada. Os desencontros deixam tantas marcas, que por pura defesa, a gente acaba desconfiando quando a felicidade vem nos abraçar. Mas o amor me pegou, ele nos escolheu. Não tinha como resistir, não tinha como fugir.
Esse sentimento que me envolve, me faz querer ser uma pessoa melhor para você, para o mundo. E eu tento, sabe? Nem sempre consigo, mas eu tento. Eu tento por você, por mim, por nós. Por que quando a gente ama, de todas as maneiras, tentamos ser o melhor que podemos. E eu quero dar o melhor de mim, ser o melhor de mim... Você merece isso. E eu gosto tanto de você, tanto.


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

5 meses de saudades

Cinco meses de saudades. Passa rápido, né? NUNCA ficamos tanto tempo assim afastadas. Morro de saudades de você, mãe. Mas eu acredito, que logo em breve estaremos juntas novamente. Na nossa casa, e em nosso coração, o seu lugar é garantido e é mais que especial. Vê se vem, tá?

Te amo, te amo – te amamos!



quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

a.d.o.r.o

Sabe de uma coisa?
 Eu adoro me queimar em você!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Inteira


Não se ofenda, não. Deixa o passado para trás. O que importa é o nosso hoje, e nada mais. Pega minha mão, vai. Sente? É calor. É real, somos nós. Nada, absolutamente nada, pode mudar o que somos. Faz esse biquinho não. Eu sou sua, e você sabe disso, num sabe?! Olha nos meus olhos, consegue ver esse brilho? É só um reflexo da felicidade que eu sinto quando estou ao seu lado. Não me arrependo de todas as lágrimas que derramei, das tantas vezes que me rasguei em mil pedaços. Não vê? Hoje estou inteira. Inteiramente apaixonada por você.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Preciosidades

A segurança que o seu amor me passa é o que tenho de mais precioso.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Tay

Quantos amores perdidos, quantas vidas mal vividas, quantas desilusões. Qual é a sua definição de amor? Qual? Fiquei noites em claro tentando decifrar, te decifrar. Essa ideia de felicidade que nunca acontece. Tantas pessoas que passaram em você sem que você as tenha percebido. Tanto carinho jogado fora. Reclamações. Tudo o que sai de você são reclamações. Nunca é o suficiente não é? Nunca. Perdi as contas de quantas vezes eu te dei, era pouco, eu sei. Mas era o que eu tinha, e sinceramente eu te oferecia. Amores platônicos. Essa é a sua preferência inegável. Tudo que não puder ser, para você é o ideal. E se um dia se tornar real, não é amor. Você muda de roupa e deixa tudo para trás. Os sonhos, os desejos... Uma vida inteira ao seu dispor. Não foi suficiente, nunca. Afinal, alguma coisa em você é real? Foi real? O ultimo abraço, aquele que eu sabia que seria o ultimo, e você me fez acreditar que não. Que ainda haveria muitos outros, que ainda existiria tempo. Tempo existe, o que não tem é você aqui, e já faz tanto, mas tanto tempo.
Eu não deveria te escrever essas palavras, Tay. Nem uma só palavra. Mas é que hoje todas essas lembranças doeram em mim.  Faça como sempre fez, não me leia. Ignore cada letra, cada palavra desencontrada. Eu só precisava escrever. Só.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Continuidade

Tenho 362 dias para escrever novas histórias, e dar continuidade as que eu já vinha traçando... "Que seja doce!"