Pages

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Horizonte



Olho pela minha janela e vejo o horizonte ao longe.
Embora o céu não esteja com aquele tom de azul que você tanto gosta, te lembro. Te lembro e meus olhos se fecham. A ausência me corta, me rasga em mil pedaços. Eu sinto o tempo passar, o espelho me comprova os anos que se foram e não nos fomos. Poderemos!? Sempre as mesmas perguntas, meu bem. Sempre o mesmo vazio ecoando em meus ouvidos.Por um breve momento, o tempo parece ser nosso. Tão nosso, que quase posso te sentir aqui outra vez. Você em meus braços. Na minha boca. Nas minhas pernas. Você em mim, me morando e se fazendo minha (...)
Olho pela minha janela e vejo o horizonte ao longe, e é lá que você me espera.

2 comentários:

Ana Andreolli disse...

tão longe, esperam de lá, e vc de cá.

Evandro L. Mezadri disse...

Belo texto, Tatiane!
Profundo, reflexivo, emotivo!
Grande abraço e sucesso!