Pages

quinta-feira, 18 de julho de 2013

(sem) Explicação

Não é apenas pelo sabor do seu beijo, das suas mãos na minha blusa, do seu gemido tímido, do sorriso atrevido. Não é apenas por algumas horas de prazer, pelos meus dedos molhados no meio das suas pernas, por essa fome que não passa.
É por alguma coisa que não sei o nome, que não sei definir. É um bem querer que não se mede, sem começo ou fim. Um cuidado sincero, sem posse ou exigências. É por depois de você não pensar em mais nada, não desejar outra coisa além de me perder em seus braços.

sábado, 13 de julho de 2013

Nada de lindo para te escrever

O que de lindo eu poderia escrever para você, se o mais lindo é ver seus olhos me buscando? O que de novo e interessante eu poderia escrever, se novo mesmo, é todo esse sentimento que transborda aqui dentro? Quais declarações de amor seriam suficientes, para expressar o quanto você é a única responsável por tudo que eu sinto?
Costumo te lembrar como ventania, dessas que passam e “desarrumam” tudo. E estou numa bagunça bonita de se ver. O mais difícil nisso tudo é não poder te ter ao meu lado, sempre que os meus pensamentos vão te encontrar, e sabe de uma coisa?! Ele tem feito isso tão constantemente que quase não o encontro mais em mim. E assim, estou sempre em você.
Desculpa, mas eu não tenho nada de lindo para te escrever. 

Sua,
T.

                                                                                                                                    (18.06.13)

terça-feira, 9 de julho de 2013

Você me dói, Juddy - Parte I



Eu estou achando graça, sabe? Todas aquelas palavras, as promessas, suas malditas promessas Juddy. Há, isso tudo agora me parece tão distante. Não vou te dizer que foi como um sonho ou pesadelo. O melhor mesmo, vai ser não te dizer mais nada. Foi divertido pra você? Então valeu a pena! Se eu vou chorar?! Não. Isso não. Não está doendo, e isso me parece incrível. Não cabem lágrimas aqui,já foram tantas as vezes que você as fez cair, né? Mas eu não te culpo não, eu permiti. Se existe culpado, esse sou eu. Foi engraçado pra você, então já valeu.

E não se preocupe não, e bem sei que isso não combina com você. Está tudo bem e o ar me parece menos pesado agora. Não vou te dizer que mando notícias qualquer dia, isso não será mais necessário. 
Só uma última coisa Juddy: obrigado! Obrigado por essas lições, que eu só poderia ter aprendido com você. Foram importantes e isso vai comigo o resto da vida.
E da próxima vez, vai com mais cuidado, Juddy. Nem todo mundo acha graça, nem todo mundo quer brincar de "era uma vez".


Shan.