Pages

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Pouco mais que muito

    

Não existe, não resiste,  ao tempo e a loucura.  Pouco mais que muito.  Menos mais que certo. E o que será?  O que será que foi?  O relógio correu,  o tempo correu e o mar já secou.  É fúria!  É talvez, não sei,  sei lá.  Foi,  não foi,  é?! Somos o náufrago ou o barco que resiste em meio a imensidão?  Não existe, mas resiste?  É talvez, não sei,  sei lá.